sexta-feira, 27 de junho de 2008

A POESIA NOSSA DE CADA DIA


O blog está passando por uma reformulada, por isso é normal que você receba algumas mensagens desconexas de atualização. Mas esta aqui tá valendo: são versos meus, que estou preparando para ler logo mais no lançamento do livro do amigo Renan.

DISRITMIA

não ter as mesmas idéias que meu corpo,

tomado por esta pulsão,

preso a uma erótica verbal,

atento ao verso, as três vezes por dia.

mas me vem, enfim, o alívio:

o de não estar só neste voyeurismo.



DESILÚDICO

como califa desiludido

provo prazeres por um abrigo

não há quem me encante e desate

gozo ou fascínio de Sherazade




A QUEM NÃO QUER

insisto na sua piscada maliciosa

na sua gostosa barriga

e no toque acelerado

de um coração entusiasmado


e em seus louros cachos

e em seus lábios roseados.

quem faz versos sabe o que quer:


beleza afro, loura gueixa,

marcas de minha poesia,

vida e desejos de dedos

e de palavras de quem se queixa


em ter distante a pele.

e pela linguagem, só por ela,

lido com o que quero



MINHA OBRA DE ARTE

Você rima com minha vida

Da forma mais vulgar e mais linda

Num só ritmo e na mesma medida!

Musical como um rondó de Cecília

Perfeita tal qual quadra de Cabral

Envolvente como um soneto de Vinícius

Ardente como as insinuações de Drummond

Intensa como as redondilhas de Bandeira

E suculenta como os adjetivos de Bilac.

És poesia pra vida inteira,

De todo gosto e da melhor maneira!

5 pitacos:

Lucy. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana disse...

de novo...
Oi professor...tinha lhe falado do meu blog...ou não falei...não tenho certeza, mas ficaria mto LISONGEADA se vc desse uma olhadinha.
Não é nada demais, são coisas bobas que escrevo! rs
bjos

Ana.

Ariny Bianchi disse...

É tão saboroso, que me embebedei em suas palavras! Uma salva a boa e fervorosa poesia!
Um abraço, caríssimo professor!

Lucy. disse...

isso é lindo! *__*

Maocubo disse...

poo..
muitoo massa professor...

to lendo seu livroo...

bom tbm.
hauauh
abraço