quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Dúvidas com grafia desafiam setor editorial

Dúvidas com grafia desafiam setor editorial
Cultura e Mercado -

A publicação da Editora Global, que está sendo elaborada pela Academia Brasileira de Letras, tem previsão de lançamento em março. Apesar disso, o governo federal mantém o edital para a compra de livros didáticos, que deve receber as obras que concorrem até abril.

Segundo a Câmara Brasileiro do Livro (CBL), será necessário um investimento de R$ 30 milhões para a reedição dos livros, adaptando-os à nova ortografia - o cálculo leva em conta um universo de 45 mil títulos produzidos no ano passado, dos quais apenas 15 mil eram novos. O mercado editorial movimenta cerca de R$ 3 bilhões e cresce, nos últimos anos, a taxas vegetativas. O governo ainda é o principal comprador, com quase um quarto do mercado.

“O que vai fundamentar ou dar diretriz é a publicação do Volp. Mas os principais livros e os novos já estão saindo com a nova ortografia”, declarou Sônia Machado Jardim, presidente do Sindicato Nacional dos Editores (Snel) em matéria publicada no jornal Gazeta Mercantil.

Na mesma matéria, Sônia diz que não existe uma estimativa de quantas publicações foram adaptadas, mas que muitos editores ainda esperam pelo Volp para não terem de refazer o trabalho. Apenas em sua editora, a Record, serão investidos R$ 7 milhões por conta do novo acordo.

Já considerado o mais importante dicionário com a nova regra, a Associação Brasileira de Livros (Abrelivros) acredita que, até a publicação do Volp, todo o trabalho de adaptação e revisão realizado até o momento terá de passar por novas correções, posteriormente. De acordo com a associação, cada editora tem o seu ritmo para a revisão.

Todos os anos o governo compra entre 120 milhões e 130 milhões de livros didáticos. Um edital para 2011 - destinados aos livros da 6ª a 9ª séries do ensino fundamental - está aberto e receberá o conteúdo das obras em abril. Neste caso, se os livros estiverem com “erros” em relação à edição do Volp, não serão descartados, mas terão de ser corrigidos até a publicação. Já para a aquisição de dicionários, o Ministério da Educação esperará a publicação do Volp para lançar o edital.

A Abrelivros informou ainda na mesma matéria que, dada a falta de tempo hábil para alterações nas obras inscritas para o PNLD 2011, cuja entrega ocorrerá em abril, firmou o compromisso com o Ministério da Educação de que todos os livros aprovados na avaliação serão novamente revisados em relação a esse aspecto e entregues aos alunos em total conformidade com o Volp.

* Com informações da Gazeta Mercantil - Neila Baldi
http://www.culturaemercado.com.br/post/duvidas-com-grafia-desafiam-setor-editorial/#more-6436