domingo, 6 de dezembro de 2009

Por entre frestas dos "muros da escola"

O histórico da colonização no Brasil nos trouxe um caldeirão de experiências multiculturais. Talvez aí resida a alta voltagem com que se conduzam estudos sobre tolerância e diversidade na educação brasileira. O filme “Entre os muros da escola”, de Laurent Cantet, nos lembra, entretanto, que a globalização e seus fluxos migratórios levaram também para Europa este encontro entre culturas.

Os diálogos e os silêncios do longa encerram as dificuldades de se alcançar uma tolerância autêntica dentro do emaranhado de influências na França contemporânea. Isso porque, apesar de ambientado em uma escola de um subúrbio parisiense, o filme trata de questões estruturais e apresenta um panorama que há muito já nos é peculiar: esse desenho é o da falta de compreensão entre mundos que não se entendem.

Com a premissa de ensino da língua materna em sua variante padrão, o protagonista (professor François) nos apresenta uma verdadeira crise da linguagem, presente em todos os estratos escolares, que passam a atuar como microcosmo das práticas cotidianas. Ninguém se entende e todos vivem à beira de um conflito, que, ora visível e ora invisível, reafirma o poder e o desencontro.

Surpreende na obra a veemência com a qual redefine estados de percepção do trabalho docente. Ora, a sensação de documentário criada no audiovisual insere os espectadores (brasileiros ou não) numa rotina que lhes pertence. Ou seja: é como se nos víssemos por uma fresta no muro daquela escola.

Esse movimento de deslocamento e de autocrítica vale a experiência de assistir ao filme. Vale ainda mais o estudo do histórico da produção do filme e descobrir que os atores não são profissionais, que se trata de adaptação de obra literária homônima e que o professor-protagonista é também o autor do referido livro. Boas e válidas as experiências entre os muros/ mundos.

3 pitacos:

Leo Perovano disse...

Muito bom Raoni. O exemplo do “imperfeito do subjuntivo” é ideal para representar a necessidade de se recriar/atualizar nossa comunicação a todo instante. Cheers!

Thuani Avelino disse...

Oi professor, boas dicas no Blog...
Seguirei e pegarei materiais aqui.

Abraço!

Raoni Huapaya disse...

ei, thuani!
acompanhe as novidades. começo com uma nova temporada de posts hoje.
abração,